Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2016

E não é que os estudantes estão vendo sentido na Escola?

Imagem
Escolas ocupadas dão lição de cidadania. Crédito: EBC Finalmente, o Ensino Médio fez sentido! Pelo menos para os estudantes de quase 1.200 escolas pelo país. A ocupação estudantil, em protesto pela Medida Provisória (MP) do Ensino Médio, tem se tornado, como vários jovens têm dito, a melhor formação em cidadania que já tiveram. Como todos sabem, o Ensino Médio faliu ! E que uma das mais polêmicas decisões do novo governo foi a edição de uma MP que o reforme. Pelo menos, já deu um resultado positivo (embora não fosse a intenção do Executivo): foi o suficiente para reacender a chama natural dos adolescentes em brigar com os adultos e acharam um propósito para chamar de seu, um incentivo para irem naquele prédio público que se assemelha a uma espécie de regime semiaberto às avessas, dorme em casa e fica preso durante o dia! Embora os movimentos estudantis não têm sido uma novidade nos últimos anos, são muito diferentes daqueles do Séc. XX. Embora não desprovidos de ideologia - a

Projetos educativos premiados não usam tecnologia eletrônica

Imagem
Essa é ainda a principal tecnologia adotada pelos professores e alunos de projetos educacionais premiados. Crédito Pixabay CC0 Public Domain Eu tenho uma grande preguiça quando abrem a caixa de ferramenta para falar mal das escolas! Com a recente entrada na pauta da baixa qualidade da nossa educação como um todo - um fato, sem dúvidas - acaba por levar incautos a pseudo autoridade de sair dizendo que a escola é também uma porcaria como um todo. Misturam tudo e acabam por jogar fora a água do banho com a criança junto. Junto também está a ideia que a escola vai mal porque não está sintonizada às novas tecnologias, que os estudantes agora só aprendem se houver um aparelho eletrônico ligado à sua frente. Arf, quanta bobagem! Primeiro, se é fato que os números brutos nacionais mostram uma educação horrorosa em geral, tais números não mostram que há centenas de milhares de professores pelo Brasil afora fazendo um trabalho exemplar tentando, justamente, vencer as dificul

WhatsApp de Mães: pode ser ruim e pode ser ainda melhor

Imagem
WhatsApp de Mães do bem. Crédito: Escola Vila Aprendiz WhatsApp de Mães do mal. Crédito: Escola Vila Aprendiz Em, pelo menos, duas ocasiões, já falei dos grupos de WhatsApp de mães de alunos. Confesso dois pecados: primeiro, tenho uma certa impressão que foram escritas mais pejorativas, segundo, não fiz qualquer estudo netnográfico, o que torna tudo o que escrevo apenas um ensaio do meu limitado ponto de vista. Posto isso, tento aqui aprofundar um pouco mais neste que considero um fenômeno ainda a espera de bons estudos. E que, definitivamente, não comporta apenas aspectos negativos. Minha experiência é hiperlimitada, dentro apenas do grupo que participo acidentalmente: minha esposa teve que se ausentar por um período e fui arremessado para resolver apenas uma questão pontual, a ver com uma fantasia para formatura. No entanto, me mantive acompanhando, discretamente e sem manifestações, e tentando entender a dinâmica, as regras e os valores que mantêm tal grupo social vi

Candidatos fogem da TV, e não é por conta dos custos

Imagem
A TV, nos grandes centros, virou problema para políticos em campanha Crédito: Pixabay CC0 Public Domain Os candidatos que estão no segundo turno nas eleições estão abrindo mão da propaganda em TV. Só para citar alguns, Belo Horizont e, Recife , São Luís , terão menos tempo de TV por solicitação dos próprios políticos. O tempo de TV, durante as campanhas eleitorais, é um recurso ruidosamente disputado, fazendo com que os partidos negociem - de todas as maneiras - por alguns segundos na tela. Então, porque, agora que estão na reta final, abrem mão do que tanto lutaram anteriormente? Um bom momento, para discutir, afinal, o tal poder da TV. É mais um sinal de decadência? Pois bem, é preciso analisar, à princípio, sob dois cenários: os grandes centros e as cidades do interior, situações, no meu ponto de vista, completamente díspares. Quanto aos grandes centros, inicialmente desconfiemos da principal justificativa dos candidatos para a diminuição do tempo: reduzir custos. Não só