Postagens

Mostrando postagens de Março, 2013

Autonomia da TV Brasil em debate

Imagem
Participei do debate promovido pela EBC – Empresa Brasil de Comunicação – “O Modelo Institucional da EBC e as relações com o Governo Federal” representando a ABTU – Associação Brasileira de Televisão Universitária. A nota da EBC tem uma excelente síntese das contribuições dos conselheiros. No resumo da ópera, minha percepção é que o Conselho acredita que, se é para ter uma empresa de comunicação verdadeiramente pública, será necessária maior autonomia perante o governo. E que a percepção deste mesmo conselho é que a empresa está caminhando justamente no sentido contrário, cada vez mais dependente da Secretaria de Comunicação (SECOM) e uma excessiva migração de pessoas ligadas ao governo para o organograma da entidade.  É uma briga boa em que todos que queremos uma verdadeira comunicação pública (diferente da estatal) devemos acompanhar e ajudar.   Certamente em favor da autonomia. Mas, como bem lembrado pelo presidente da EBC, Nelson Breve, antes de mais nada é uma q

Psicopedagogo: urgência na regulamentação

Imagem
 Ajudem a regularizar a profissão do Psicopedagogo. O Psicopedagogo é aquele profissional que ajuda nossas crianças - e a seus pais e responsáveis - a aprender e aprender. Neste novo mundo louco, carregado de fontes e dados, mas carente em pessoas e atitudes que ajudem a interpretá-los e transformá-los em Conhecimento, sua atividade me parece fundamental. No entanto, é mais das profissões sem regulamentação. Haverá uma Audiência Pública sobre o tema e estamos pedindo a assinatura ( http://www.abpp.com.br/ abaixo-assinado_lei_psicopedago gia.asp ) de um o manifesto de apoio à regulamentação da profissão. Este manifesto é aberto à população em geral - e você não gastará mais do que 20 segundos para fazê-lo) e nos ajudará bastante na audiência pública. Assine e peça aos familiares, amigos e conhecidos em geral para nos apoiarem assinando também e imediatamente.

700 MHz: Indecência à vista!

Imagem
Eu que acreditava que o roubo dos canais 60 a 69 do UHF (que estão nos 700 MHz) demoraria ou poderia nem acontecer, dada a indecência da coisa, fui mais uma vez ludibriado. Vale retornar a uma postagem anterior em que já alertava o engodo, para entender o que, afinal, é essa tal de 700 MHz. Em resumo, é o espectro onde está reservado espaço para as TVs do campo público (àquelas voltadas ao interesse do cidadão e não à venda do espaço publicitário) na TV Digital e que está sendo ofertado para as telefônicas brincarem de 4G. Pois então, na véspera de um feriado prolongado, a Anatel faz o seu papel obrigatório de chamar uma consulta pública para discutir a ocupação deste latifúndio. O aviso foi publicado no dia 22 de março, numa sexta-feira, para a audiência que acontece na quarta, dia 27, menos de cinco dias. Haja mobilização da sociedade para essa pressa, hein? Ou seja, está com cara de coisa já acertada. Mas, ludibriado por ludibriado, não podemos nos deixar levar pel

Mudando Paradigmas da Educação

Imagem
Desta vez, deixarei que essa deliciosa produção fale por mim (e por todos nós, educadores e pais). Para ver, rever e pensar qual a nossa participação neste latifúndio.

Teremos uma TV Pública?

Imagem
Ok, partamos do seguinte princípio, que sei que é meu e de quem compartilho da mesma opinião, mas que não é uma idéia unânime (já que muitos assalariados e comissionados pensam ao contrário): Não há TV pública no Brasil! Pronto, falei! Não adianta se tiver um enorme conselho, como no caso da TV Cultura de São Paulo (que adora se colocar como exemplo de TV pública nacional justamente por conta deste conselhão), se metade é indicado pelo governador de plantão, o mesmo sujeito dono do torniquete que estragula o repasse de recursos quando acha mais conveniente. Algumas emissoras estatais também se arvoram de serem "públicas'. Risível! Sequer mantêm um conselho dando palpite. Ou seja, para uma verdadeira TV pública, entre outros fatores, no mínimo uma boa margem de independência e uma ampla participação da sociedade. Não me iludo com100%, mas quanto mais próximo deste número, mais pública ela será. Pois bem, a EBC, que mantem a TV Brasil, tem um conselho atuante, com