Diário da NAB I: Soluções a procura de um problema



NAB 2013: tinha stand que precisa de mapa!

A NAB Show é o maior evento de tecnologia de produção audiovisual. Sempre quis ir, apaixonado que sou por TV, durante muito tempo o foco principal do evento (NAB é National Association of Broadcasters, o clube/sindicato/associação/lobby da turma que manda no maior sistema de radiodifusão do mundo, o norte-americano).

Fui na 90ª edição do evento, ou seja, nove décadas desta enorme feira de equipamentos e apresentações de palestras e cases, para se ter ideia da solidez da brincadeira.


Acontece todos os anos em Las Vegas e mostra o que há de mais moderno e as tendências do que estar por vir.  A TV continua pilar no evento, mas as novas tecnologias e as suas convergências já deixaram de estar no campo das possibilidades e hoje são uma realidade dada.

Não me decepcionei. É um super evento, em um super lugar (Centro de Convenções de Las Vegas) em uma super cidade. Digo sem medo do exagero, pois tudo em Las Vegas é feito para ser grande. Uma Itu que deu certo!

Nas próximas postagens, vou deixar minhas impressões sobre a NAB Show. Mas não sem antes agradecer ao Fernando Moreira, amigo e presidente da ABTU – Associação Brasileira de Televisão Universitária, que me serviu de guia paciente, ele que já foi mais de dez vezes ao evento.

E para não terminar essa postagem com pelo menos uma impressão: a convergência já está posta, é um fato concreto, mas os seus projetos me parecem soluções em busca de um problema. Boa parte das empresas oferece as tais soluções. No entanto, poucos esclarecem como podem ser sustentadas ou mesmo lucrativas (afinal, esse é o nome do negócio).

Aliás, esse parece ser o problema: são novas soluções para o negócio antigo, esperando ser mantidas por verbas publicitárias tradicionais. Ora, essas verbas já, em boa parte, encontram-se satisfeitas com o que tem, e arriscam muito pouco com o que está por vir, algo, inclusive, muito natural. Só vai na boa! A TV é o mais tradicional dos meios.

E não é a toa que, mesmo em uma suposta era de ‘decadência’ da TV tradicional (não é a minha opinião, diga-se de passagem), as verbas, pelo menos no Brasil, tem até aumentado.

Assim, essas novas ‘soluções’ estão solucionando o que mesmo?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Espaço: a fronteira final

Educação é Pop!

Há esperança!