Postagens

Educação é para Todos! Educação para Cegos

Imagem
O Brasil são mais quase 7 milhões de pessoas, entre adultos e crianças, com muita dificuldade de enxergar. Desses, mais de 500 mil são cegos. Como estudar em uma sociedade que aprende quase que completamente pelo visual? Como incluir que lê e interpreta o mundo a sua volta com sentidos que são desprezados pelas pessoas, como o tato? Como não deixar que os cegos sejam excluídos do Conhecimento e ampliar sua inclusão na sociedade utilizando de suas habilidades especiais? Tudo isso e muito mais que o Educação é para Todos! dessa quinta conversou com o educador Luis Carlos Pistelli. O Prof. Pistelli é cego, fisioterapeuta, pós graduado em Bases Neurológicas do Movimento Humano e  especialização em Neuropsicologia, Biopsicologia, Psicologia da Criança, Aconselhamento Psicológico, e Psicologia do Desenvolvimento pela Academia de Canterbury, no Reino Unido. Especialista em música com ênfase no atendimento de alunos com Transtorno Global do Desenvolvimento, professor e desenvolvedo

(Des) Informando #15 - Aumento mais não invento

Imagem
❌ *A Ruim da Semana:* É fora de contexto o vídeo que mostra porcos sendo queimados vivos supostamente pelo MST. 📚 *Essa Informa:* Testemunhal Falso é a categoria escolhida neste episódio para tratar de vídeos e relatos que têm o objetivo de mostrar "a verdade escondida pelas elites". Texto de referência: https://informationethics.ca/index.php/irie/article/view/405/418  🛡️ *Fake Old:* "Aumento, mas não invento", conheça a história que transformou Ramsés II em um deus vivo no Império Egípcio, após a Batalha de Qadesh, há mais de 1200 anos antes de Cristo! 📝 *Essa Informa:* utilize as próprias ferramentas oferecidas pela internet para encontrar a verdade! A busca reversa por imagens é uma ótima alternativa para combater fotos e vídeos retirados de contexto. No canal You Tube  Democracia da Desinformação: https://youtube.com/live/G24jTsLG8hQ 

Educação é para Todos! Educação e Autismo

Imagem
Na semana que se enfatiza a Conscientização do Autismo é necessário ajudar a tirá-lo dos mistérios que o envolve, desde a população em geral até mesmo com cientistas. A realidade é que aumenta a responsabilidade de todos em incluir aqueles que têm a condição de Autista. E, é claro, tudo isso tem que passar pela Educação: tanto para e com os Autistas, que tenham a educação formal, como também para e com a escola, que deve ajudar a conscientizar sobre o que é o Autismo. É sobre isso e muito mais que o Educação é para Todos!! conversou com a psicóloga especializada Zulmary Brito. Zulmary é também pós graduada em Psicologia Hospitalar, Dificuldades de Aprendizagem, Filosofia e Psicanálise, com Mestrado em Mídias e Conhecimento. Sua especialização aconteceu pela Child Behavior do Institute of Miami. É professora universitária e atualmente trabalha com Formação de Professores, Tecnologias Assistivas, Comunicação Suplementar e Alternativa para crianças e adolescentes com Autismo,

60 anos do Golpe! Lembrar pra não repetir

Imagem
"...a memória oficial é deturpada pela imposição de um silêncio disfarçado de cautela.", escreveu hoje Bruno Boghossian. Lembra o colunista da Folha de S. Paulo que quem também ganharia com a lembrança é aquela maioria honesta que não é representada por aqueles que conspurcaram a imagem de suas instituições. Vergonhoso um governo dito "progressista" deliberadamente vetar atos oficiais que lembrem o último movimento que nos roubou, enquanto Nação, liberdade, vidas e dignidade. Graças a esse tipo de tentativa de esquecimento é que o tal movimento quase se transformou num penúltimo! Ignorar os 60 anos do golpe militar que nos deu duas décadas de ditadura fez parecer pífia a lamentável falta de comemorações dos 200 anos da Independência do Brasil sob governo Bolsonaro, e se iguala à ditadura de Getulio Vargas quando apagou os registros de heróis nacionais para prevalecer apenas a imagem do 'pai dos pobres'. Que bela companhia! #60anosdogolpe #60do

"Chumbo", de Matthias Lehmann: leitura obrigatória para entender os 60 anos do Golpe

Imagem
Pra você que não é cagão e não tem medo - aliás, tem necessidade - de lembrar que nossa História não é feita de samba, carnavais e harmonia racial, mas de sangue, funerais e desigualdade social, uma excelente maneira de não deixar passar em branco os 60 anos de implantação de uma das nossas ditaduras mais cruéis e mentirosas é ler a recém lançada HQ/Grafic Novel "Chumbo", de Matthias Lehmann, da Nemo!  Vale quanto pesa: 368 páginas de um épico que acompanha, por 64 anos, uma família de um jornalista e escritor - daquela turma mineira que vivenciou e registrou os anos 1960 a 1980 com reportagens, crônicas e resistências, às vezes sutil, às vezes não. E tão importante quando a sua trajetória é o seu entorno, contando a história do Brasil pelas causas e consequências da ditadura que se estabeleceu por 21 anos.  É uma espécie de Dois Irmãos, de Milton Hatoum (que também tem uma excelente versão HQ pelos premiados Fábio Moon e Gabriel Sá), onde

Educação é para Todos!! Educação e Cidades

Imagem
De cada 10 pessoas, mais de 8 vivem nas cidades brasileiras. E já se passou o tempo de considerá-las apenas como simples dormitórios ou lugar de trabalho. Cidadãos são ocupantes ativos das suas cidades, com sentimentos de pertencimento e afeto, mas também de dever social e moral. Em cidades cada vez mais complexas, em que inclusão e exclusão de debatem diariamente, qual o papel da Educação na apropriação das cidades pelos seus cidadãos? É sobre isso e muito mais que o Educação é para Todos! conversou com a antropóloga Wânia Maria de Araújo nessa quinta-feira na Rádio Autêntica Favela FM. Wânia Maria Araújo é graduada em Serviço Social e Ciências Sociais, com Mestrado e Doutorado em Ciências Sociais e é professora da Escola de Design da Universidade do Estado de Minas Gerais. Educação é para Todos! é apresentado pelo radialista, psicólogo, mestre em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local e bacharel em Direito Luiz Chinelato, e semanalmente traz um especialista para

Dia do Circo e do Teatro

Imagem
Estava na dúvida se devia comemorar este dia, algo já tão distante. Mas foi fácil: tendo sido palhaço (grande Dr. Razão!), um trágico Van Gogh, um sonhador e lutador João Garimpeiro, entre outros que generosamente me deixaram interpretar, devo a cada um deles algo que me constitui. Essa é a delícia e o drama da Arte, esse instrumento que nos permite atender à recomendação do mestre Suassuna (ele que também nos abasteceu com sua literatura fantástica). Não acredito que o teatro mineiro tenha perdido muito com minha retirada dos palcos, mas minha carteira de trabalho ocasionalmente me lembra que ser ator profissional, junto com o carimbo de jornalista idem, não é algo de que se aposenta assim fácil. E que ambas as profissões, assim como a de educador, têm como privilégio oferecer o que melhor temos enquanto conhecimento aos que nos brindam com sua atenção. Então, é isso, sou isso tudo junto e misturado. Viva o Circo! Viva o Teatro! Colegas, em atuação ou não, merecem sempre,